Sparky Linux 4.4

No inicio do ano corrente tive o meu primeiro contacto com Sparky Linux, e lembro-me que não foi uma boa impressão. Achei até bastante confusa, cheio de aplicações que por vezes tinha-se 2 ou 3 aplicações para a mesma função. O look&feel também era algo que não era apelativo. Claro que falo por mim, e fazendo um pouco de pesquisa pelo sitio da distribuição podemos destacar alguns pontos interessantes, como sejam:

  • Em geral, Sparky não tem como utilizador alvo como iniciantes, embora os iniciantes sejam bem vindos pois o forum existe para ajudar todos, mas querem dar uma alternativa a todos os utilizadores que queiram substituir um sistema fechado!
  • 2 grupos diferentes como o Home Editions e Base Editions a diferença é o Home terá ferramentas, codecs, etc já pré instalado e o Base será um sistema mínimo e deixa à vontade para a personalização do sistema.
  • Com uma base que é Debian Testing, rolling release, uma variedade de ambientes de trabalho, etc.

Depois destas características procedi ao teste do novo Sparky Mate 4.4, e foi uma surpresa quando me deparei com um look&feel renovado, um pouco ao que hoje se usa muito por culpa do plasma5 uma linha Flat, ícones novos que criou um bom impacto embora eu ache que o tema seja claro demais e não favorece a utilização depois de algum tempo, tive a necessidade de alterar o tema para descanso dos olhos.

sparkym01Um certo Dejá vue quando cliquei no lançador de aplicações que me deu a sensação estar perante o LinuxMint, mas rapidamente verifiquei que não, embora haja aplicativos conhecidos que se encontram tanto no Mint como na Solyd.

A rapidez e leveza do Mate é muito boa, assim como bastante úteis as aplicações criadas pela Sparky para ajudar os utilizadores a manterem o sistema actualizado.

Da minha parte eu fiquei satisfeito com esta versão Mate, pois é, “fiquei” até que instalei as actualizações. Ai foi a desilusão quando ponderava em instalar em um pc para um familiar e ver se ele se adapta, eis que depois da actualização o sistema ficou com um lançador a funcionar mal. De surgir outras situações a nível gráfico que começaram a colocar o sistema instável e na tentativa de concerto apps deixaram de funcionar. Claro que não se pode esperar muito num sistema com base testing da Debian. Mentira eu esperava muita estabilidade habituado ao meu sistema base que começou no jessie quando ainda estava testing e nunca senti este tipo de problemas. Este sistema não é recomendável para quem queira iniciar no mundo do Linux, e não acrescentou muito de modo que o recomende. Num futuro próximo talvez desde que as ideias e a estrutura do Sparky esteja mais madura e olhem para o projecto com uma maior atenção que merece.

A Sparky demonstra vontade de se destacar da sua base, com um look & Feel próprio, com boas ideias de programas com processos simples, que se colocarem num modo gráfico só teriam a ganhar. antes de haver actualizações deveriam fazer um teste primeiro e lançar-las em APT de modo a tornar o sistema não tão actualizado mas mais estável, um pouco à imagem do que se faz com a SolydXK.

Obrigado e até ao próximo artigo.

Sobre Luis Teixeira

Trabalho nas Tecnologias de Informação desde que iniciei o estudo do MSDOS 5 a partir dai foi sempre a aprender. Hoje sou um amante do Linux e do Open Source, mas não sou fundamentalista e acho que tudo tem mercado. Mas escolhi ser livre e um acérrimo lutador contra a pirataria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *