Converter um perfil numa página do Facebook

fbpage5-1024x795Além do meu perfil pessoal no Facebook tinha outro mais antigo dedicado exclusivamente à divulgação dos projectos, como Philosocial por exemplo. No entanto,  ao longo do tempo estava a tornar-se incomodo para mim andar sempre a saltar de um perfil para o outro pelo que pensei em converter esse perfil numa página de facebook. Assim poderia ter acesso  a essa página através da minha conta pessoal, ficando tudo concentrado de forma a poupar tempo e a ser mais produtivo. Assim feito, o resultado é o que pode ver aqui.

No seguimento disto algumas pessoas vieram-me perguntar como era possível fazer tal mudança e por isso é que publico este artigo, para explicar como é possível.

Antes demais,  é preciso ter atenção que os perfis têm privilégios que as páginas não têm: como participar em grupos e ter acesso a aplicações, entre outras situações. Além disso vai perder todas as fotos e publicações que tem, mantendo-se apenas a foto de perfil e sendo os amigos convertidos em “gostos”. Por isso antes de optar pela mudança é preciso reflectir bem se a mesma vale a pena. Vamos aos procedimentos:

  1. Com a sessão iniciada no Facebook vá a este endereço: http://www.facebook.com/pages/create.php?migrate
  2. Depois de ir ao endereço aparece várias categorias. Escolha aquela a que mais se adequa com a paginafbconvert1-1024x646
  3. Depois de escolhida a categoria e o nome da página (não pode diferir muito do nome do perfil) clique em começarfbconvert2-300x237
  4. É o passo final antes da mudança, coloque a sua senha e confirme. Repare no aviso do que vai perderfbconvert3
  5. Depois de aguardar algum tempo é lhe pedido para redigir a informação da página (como se estivesse a criar uma pagina de raiz). Depois disto a página totalmente acessível.

fbconvert4

Sobre Paulo Trindade

Apaixonado pelo Linux e open source. A primeira experiência foi com Red Hat foi algo traumática. Voltou anos depois com o Ubuntu 7.04 e nunca mais abandonou Linux.

Foi editor do Linux Tugaz e criou o Terminal Aberto.

2 comentários

  1. Como sempre nos habituaste. um excelente artigo…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *